Quintal parental: dos bolinhos e dos perrengues.

Todo mundo me pergunta se o Nico já vai para a escola. Não minha gente! Ele vai para um Quintal (uma creche parental). Que poderia ser como uma escola, mas não é. O Quintal cumpre muito bem nossas necessidades familiares de passar um tempo longe do Nico (seja por trabalho ou saúde mental) e as necessidades dele (Nícolas) de ter amigos e outros vínculos afetivos para alem dos pais e familiares.

Faz 1 ano que estamos nessa. Tem aqui no blog dois textos antigos falando sobre (aqui e aqui). E nesse novo semestre – depois de muito bater a cabeça e visitar muitas outras escolas e projetos educativos) continuamos no mesmo barco. Como ando meio empanzinada desse assunto de Quintal, resolvi reviver esse blog para desafogar meu peito. Quem quiser saber, vem comigo:

Continuar lendo

Anúncios

DIY: Arco de animais e uma viola de brinde.

Esse post é só uma desculpa para mostrar de pertinho o que ocupou meu tempo ( e minhas mãos no mês de outubro).
Eu não sou muito adepta à lembrancinhas de festa. Elas geram lixo, são sempre meio inúteis e ninguém tem que receber um prêmio por ter ido a sua festa, né.
Mas eu queria fazer algo para a festa do Nico. Não como lembrança, mas como forma de tornar o evento mais participativo, interativo e bacana para os convidados (crianças e adultos).

Continuar lendo

Fralda de pano: vamos falar mais sobre isso?

Por aqui usamos fralda de pano. Acho que todos já sabem, mesmo que faça tempo que eu não fale sobre o assunto. Passou o frenesi inicial, as fraldas não geram mais dúvidas, inquietações, são uma simples parte da rotina, cumprida automaticamente. Porém, sempre é uma oportunidade para falar sobre, contar para quem não conhece sobre esse item do enxoval do Nico que causou tanto espanto.

Continuar lendo

Festa sustentável: é possível? como fazer?

Festa é sempre aquele festival de desperdícios. A começar pela quantidade de descartáveis que a gente usa (copinhos, pratinhos, guardanapos) e a terminar na comida e bebida que as pessoas jogam fora simplesmente porque não são elas que estão pagando (pronto falei).

Mas nem por isso precisamos ser chatos, ranzinzas e deixar as festas para lá. Como manter o evento e tornar as coisas mais bacanas para o meio ambiente? Como dar uma festa e ser ecológico? Pensando na festa de 1 ano do Nico e na de 2 que eu estou planejando, vou dar elencar “diretrizes”. Segue a trilha:

Continuar lendo