O desembaçar do mundo.

Lembro de um dia ali no Caminho Niemeyer – tão perigoso -, um grupo de meninos me seguia. Perguntavam: tia, pra onde cê tá indo? Pra universidade e vocês? Iam pra praia e não sabiam direito o que era Universidade, mesmo que passassem pelos portões todos os dias. Convidei pra entrar e foram encantados comigo pelo gramado. O porteiro quando viu, veio gritando, mandou o bando de meninos embora que ali, Universidade Federal – pública, de todos, do povo – não era lugar de pivete.

Continuar lendo