O que minha mãe não sabia sobre fraldas de pano modernas, mas todo mundo deveria saber.

Pela primeira vez viajamos com fraldas de pano (antes eu só levava uma ou duas modelo de piscina). Não tínhamos a pretensão de usar só as fraldas de pano, a ideia era mesmo intercalar com as descartáveis, mas diminuir ao máximo o lixo gerado. Queríamos era testar a coisa.

O saldo foi super positivo. Com um pouco de organização foi bem fácil levar de um canto para o outro e lavar (seja na pia do hotel ou na casa da mãe e da sogra). Ae que mora o X da questão:

Essa foi a primeira vez que minha mãe viu o Nico usando fraldas de pano. Ela que usou fraldas de pano nos primeiros filhos (pois as descartáveis eram caras demais na época e só eram usadas para os dias de pediatra) olhava abismada, me perguntava “mais pra quê isso?” Afinal, hoje, as descartáveis “são tão baratinhas, tem um monte ae que eu comprei pra ele”.

Quando eu decidi pelas fraldas de pano minha mãe, assim como quase todo mundo que eu conheço, olhou torto. Foi logo dizendo que eu não daria conta. Que era trabalho desnecessário, que um bebê já era perrengue demais. Usamos fralda de pano faz mais de ano, e o espanto da minha mãe é ainda maior.

O Nico ali, bumbum de pano, do lado dela gerou muita inquietação e foi motor para muita conversa. Minha mãe achava que estava vazando, todas as vezes. Achava que ficaria manchada de cocô, que não ia ficar limpo na máquina, que ia sujar a máquina de lavar dela. Queria encher de sabão, colocar água sanitária. Ela me perguntava: “qual a diferença dessas para as calças plásticas que eu usava? As que você usou eu lavava tudo com água sanitária, não tinham essas frescuras”.

[Para saber: 
> as fraldas de pano quando bem ajustadas ao bebê não vazam.
> as manchas saem com os enxágües ou ao sol
> a lavagem na máquina é super eficiente
> não deixa nenhum odor ou resíduo na máquina de lavar
> a quantidade de sabão que pode ser usada para lavar fraldas de pano é menos de 1/3 do que recomendado pelo fabricante para uma máquina cheia
> água sanitária, entre outros produtos, pode impermeabilizar o tecido absorvente, estragar o tecido impermeável e ainda causar alergia na pele do bebê
> as fraldas de pano modernas são mais eficientes que as fraldas de antigamente por serem mais práticas, aguentarem uma quantidade maior de xixi sem um volume muito grande, entre outras qualidades. ]

IMG_20160901_153507

Minha mãe é uma pessoa com uma consciência ambiental bacana (cresci em meio ao lixo sempre reciclado, lavado e separado, ao que era orgânico compostado ou dado para as galinhas). Só que quando digo que não uso fraldas descartáveis pois gera lixo – um lixo que vai demorar 450 anos para ser decomposto -, ela não entende. Minha mãe não entende porque não são produzidas fraldas descartáveis biodegradáveis (na verdade são, mas custam caras e são importadas). Acredita ser um retrocesso usar fraldas de pano. Seu argumento é de que a responsabilidade pela produção de lixo nesse caso não é nossa, enquanto consumidor individual, mas das indústrias. 

O argumento da minha mãe é o de muita gente. De todo mundo que não economiza água, afinal, o problema da falta d’água não é o uso doméstico, mas as grandes empresas. De  todo mundo que usa sacolas plásticas que não são biodegradáveis. Que não deixa de comprar, usar e tal, pois afinal, quem tinha que resolver isso são as empresas.

O que minha mãe não entende é que as mudanças no macro nascem nas micro políticas, no cotidiano. Que só a consciência de usar fraldas de pano no meu filho, de mostrar isso pro mundo, de explicar para as pessoas na rua, de sair por ae falando que é legal, que não dá tanto trabalho, que gente, desde que inventaram a fralda descartável, estão todas ainda no planeta… só isso vai fazer as empresas repensarem seus modelos de produção.

Empresas não são entidades diabólicas. Por trás do capitalismo há outras pessoas. Só que com valores, muitas vezes, diferentes dos nossos (dos meus pelo menos). O esforço de perpetuar o uma ideologia mais sustentável, um consumismo mais consciente, necessário, sem ostentação, pode parecer pouco, grãozinho de areia no mar, trabalho de formiguinha, mas é uma boa forma de luta efetiva.

Não dá para ficar vivendo perpetuando valores deturpados só porque a responsabilidade não é nossa, só porque isso não muda nada – aparentemente. O mundo só vai ser um mundo melhor quando nossas vidas forem melhores, nossas casas, nossos bairros. A responsabilidade é sim de cada um.

No fim, minha mãe entendeu.
Concordou com meu ponto de vista, lavou todas as fraldinhas do Nico com cuiado. Estão lindas, brancas e cheirosas como nunca antes (já que ninguém nesse mundo lava roupa tão bem quanto minha mãe).
Obrigada mãe, por fazer meu mundo sempre melhor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s