Linguagens submarinas.

Filho,
Você tá crescendo. Mamãe tá aqui do seu lado tão perto que às vezes ela nem enxerga. As conquistas cotidianas ficam esquecidas no momento.

De repente me dou conta. Você entende. Não, mais que isso, que entender você sempre entendeu. Agora você responde. Do seu jeito. Nossas linguagens estão se afinando, se aproximando. Eu chego mais perto, você também.





A vida com você, filho, desde a gravidez, tem sido como ir morar num país estrangeiro. onde não se fala a mesma língua. Aquela sensação de nunca ser ouvida, compreendida. De que mesmo que você leia gramáticas, dicionários, fica algo por dizer.

Digo isso pelo meu desencontro com o mundo. Fiquei meio assim, como os bebês na barriga, falando entre soluços, gargalhadas aquáticas. Faltavam as palavras correntes.

Eu também estou aprendendo, filho. (re) inventando minha língua. Tomando forma e lugar. A gente segue sempre de mãos dadas. Dando nossos passinhos cotidianos. Quando vê, ô, que maravilha, tão alto nossos vôos.



Hoje abri as janelas e o mundo já não era país tão distante. Foi mais fácil entender, responder, saber o que dizer. Quando eu te perguntei, filho, você respondeu. Inúmeras vezes. Nada foi por acaso.

Eu soube, então, que outros tempos estão pra chegar.

Que venham frescos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s