8,2. Coworking: mais do que a busca por um ambiente de trabalho.

Por aqui optamos por eu deixar meu emprego (por mil questões que não veem ao caso agora) e ter alguém que pudesse passar o dia se dedicando ao Nico nesse primeiro ano de vida dele. Cuidar de uma criança dá um puta trabalho (e exige demais).

(isso não necessariamente está dando certo, mas também não vem ao caso agora).

Hoje, quando penso em voltar a trabalhar fora de casa, levar para frente projetos pessoais e profissionais, fico pensando em como conciliar isso ao cuidado ativo do Nicolas. Como criar formas para me dedicar à um emprego, que tenha flexibilidade de horários, que não seja de mil horas por dia, que eu possa continuar amamentando em livre demanda… (sempre penso nas mães que não podem como eu ficar buscando esse cenário ideal, e que assim que a licença maternidade acaba, puf vão trabalhar oito horas por dia e ainda passar 3h no trânsito. Força, muita força!)

A busca por esse cenário ideal me fez conhecer mais de perto os COWORKING,

que eu já sabia o que eram, conhecia quem usava, já tinha visto, achava bacana, maaaaas nunca tinha pensado que “era pra mim”. Afinal, eu não trabalho com tecnologia, não sou empreendedora, meu trabalho não é remoto, etc etc etc.

Coworking

Bom, pra quem não sabe segue a definição da Wikipédia.

Coworking (ou Co-working) é um modelo de trabalho que se baseia no compartilhamento de espaço e recursos de escritório, reunindo pessoas que trabalham não necessariamente para a mesma empresa ou na mesma área de atuação, podendo inclusive reunir entre os seus usuários os profissionais liberais e usuários independentes. Pessoas e empresas usuárias de coworking também utilizam este modelo de trabalho para estabelecer relacionamentos de negócios onde oferecem e/ou contratam serviços mutuamente. Alguns destes relacionamentos também visam favorecer o surgimento e amadurecimento de ideias e projetos em grupo.

Ou seja, é coworking é um espaço de trabalho. Um escritório compartilhado, que reune profissionais (autônomos ou não) de distintas áreas, trabalhando individualmente mas partilhando valores comuns.

images (2)Com a globalização, a informatização, as formas de trabalhar começam a mudar no século XXI. Surgem uma gama de profissionais autônomos, criativos, pequenas empresas, cooperativas, as start-ups. Pessoas que viajam muito a trabalho. Pessoas que podem/ preferem trabalhar de casa (Home Office). Pessoas que trabalham freelancer. Normalmente, esses profissionais acabam muito “isolados” (restritos à cafés sem estrutura alguma). O coworking pretende resolver esse problema. Modificar as relações entre os profissionais, e dar mais conforto para os atendimentos aos clientes.

coworking-brasil-2016_censo

A nível de curiosidade, o coworking surgiu em 2005 nos Estados Unidos. Chegou no Brasil em 2008 com o escritório chamado Pto de Contato, em São Paulo/SP. Hoje há centenas por todo o país, e o conceito cresce cada vez mais.

De forma simplificada, podemos dizer que o coworking procura resolver basicamente quatro tipos de problemas:

  • um empreendedor que não deseja ter o gasto de criar e manter um escritório próprio, pelo menos inicialmente;
  • um profissional que deseja aumentar o seu networking com profissionais da sua área ou de diferentes áreas;
  • um profissional que deseja uma maior interação com outros profissionais no seu ambiente de trabalho;
  • um profissional ou empreendedor que faz uso de home-office, porém se sente isolado nessa modalidade de trabalho.

coworking-space-illustration_23-2147528469Para isso, um espaço de coworking oferece não apenas uma mesa e cadeira de trabalho confortáveis para seus usuários. Mas também:

  • a segurança de uma internet sem fio de alta velocidade.
  • impressora multifuncional
  • armário individual (locker)
  • Café free e copa
  • Sala de reunião
  • Sala de atendimento
  • Espaço de convivência / relaxamento (lounge)
  • Endereço corporativo

Além de toda a infraestrutura necessária – que visa a praticidade e tranquilidade, fazendo do coworking um espaço de trabalho confortável e de baixo custo – esses espaços possibilitam o networking, a colaboração, o estabelecimento de parcerias e convívio social. Há uma sinergia que se estabelece quando pessoas talentosas dividem o mesmo espaço, gerando um fluxo de troca de ideias e experiências, fazendo surgir uma cultura colaborativa. Tudo isso transforma o coworking em um ambiente inspirador, diferenciado e agradável.

Report1

Dica:
O site super bacana de uma amiga que tem me ajudado muito nessa busca do momento. Lá você encontra não só vários posts sobre coworking, mas muita coisa bacana. Obrigada Carol 😉

coworking-em-numeros

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s